O Brasil no Comércio Internacional de Armas não Letais: Negócio Lucrativo Vs. Princípios Democráticos

Tiago Leonardo Lucero

Resumo


A exportação de armas é uma questão tradicionalmente delicada no âmbito das relações internacionais, haja vista sua estreita relação com afrontas aos Direitos Humanos e interesses econômicos. Apesar das armas não letais terem revolucionado o conceito tradicional, vez que seu uso se mostra menos violento, a repressão ainda delas decorrente atinge outras liberdades inerentes à personalidade humana, em especial a liberdade de expressão. O que tornou-se ainda mais evidente em face dos recentes movimentos sociais que floresceram nos diversos continentes, calcados em princípios democráticos. Destarte, o escopo deste trabalho é analisar a relação entre os deveres dos Estados de proteção dos Direitos Humanos e os interesses econômicos no cenário da incursão do Brasil no mercado de armas não letais.

Palavras-chave


Armas não letais. Desobediência civil. Comércio internacional

Referências


ALLEMAR, Aguinaldo. O Direito, a Economia e os conflitos internacionais. Revista de Direito Internacional e Econômico. Porto Alegre, ano I, n. 2, jan./mar. 2003 p. 100-113.

BOBBIO, Norberto. Estado, Governo e Sociedade: Para uma teoria geral da política. Tradução de Marco Aurélio Nogueira. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

BYERS, Michael. A lei da guerra. Tradução de Clóvis Marques. Rio de Janeiro: Record, 2007.

DINH, Nguyen Quoc; DAILLIER, Patrick; PELLET, Alain. Direito Internacional Público. Tradução de Vitor Marques Coelho. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian. 2ª ed., 2003.

DREYFUS, Pablo; PURCENA, Júlio Cesar. Pegando o touro pelos chifres: Os efeitos de medidas de controle na indústria brasileira de armas pequenas. Revista FLACSO Brasil. Série estudos e ensaios. Ciências sociais. Junho de 2009.

FETT, Priscila. O Conflito Interno na Síria e o Princípio da “Responsabilidade de Proteger”. In Direito Internacional em expansão, volume 2. Anais do XX Congresso Brasileiro de Direito Internacional. Belo Horizonte: Arraes Editores, 2012, p. 421–437.

GROTIUS, Hugo. O direito da guerra e da paz. Tradução Ciro Mioranza. 2. ed. Ijuí: editora Unijuí, 2004.

MARTINS, José Miguel Quedi. Digitalização e guerra local: como fatores do equilíbrio internacional. Tese de Doutorado. Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 2008.

MILL, John Stuart. Sobre a liberdade. Tradução Alberto da Rocha Barros. 2. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 1991.

MOTA, Jéssica. A bancada da bala. Disponível em . Acesso em 1º de junho de 2013.

RIDRUEJO, Jose Antonio Pastor. Curso de derecho internacional público y organizaciones internacionales. 11ª ed. Madrid: Tecnos, 2009.

SANTINI, Daniel; VIANA, Natalia. Brasil, produtor e exportador de armas. Disponível em . Acesso em 1º de junho de 2013.

______. Empresas de armas miram Ásia e África para ampliar exportações. Disponível em . Acesso em 1º de junho de 2013.

______. Em cinco anos, 4,3 milhões de armas nas ruas. Disponível em . Acesso em 1º de junho de 2013.

SARAPINI, Priscila. O direito de resistência, a desobediência civil e os movimentos sociais internacionais. Cadernos de direito da UNIMEP. Piracicaba, vol. 11, n. 20. Jul./dez., 2012.

SEN, AMARTYA. A ideia de justiça. Tradução Denise Bottmann e Ricardo Doninelli Mendes. São Paulo: Companhia das Letras, 2011.

SILVA, Orlando M. da; ALMEIDA, Fernanda M. de; OLIVEIRA, Bethania M. de. Comércio internacional “x” intranacional no Brasil: medindo o efeito-fronteira. Nova Economia. Belo Horizonte, set./dez., 2007.

SINGER, Paul. Curso de introdução a economia política. 17. ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2004.

THOREAU, Henry. Desobediência civil. Tradução Sérgio Karam. Porto Alegre: L&PM, 2007.

TRINDADE, Antonio Augusto Cançado. A humanização do direito internacional. Belo Horizonte: Del Rey, 2006.


Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .

 

Thesis Juris

 

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma  Licença Creative Commons Attribution 4.0