Reflexões Sobre a Crise da Democracia Representativa no Brasil Pós Constituição Federal de 1988

Ana Cristina Bacega De Bastiani, Mayara Pellenz

Resumo


Este artigo científico volta-se para a análise do processo da redemocratização do Brasil, ocorrida em 1988 por meio da promulgação da Constituição Federal, e da adoção da Democracia Representativa como modelo a ser seguido pela sociedade brasileira nas tomadas de decisões políticas do país. Analisar-se-á os problemas enfrentados pela Democracia Representativa no contexto brasileiro, como a apatia política dos cidadãos, em virtude do distanciamento e da falta de identificação do povo com os candidatos aos cargos eletivos, além dos escândalos políticos que são noticiados no país. Faz-se necessário que o cidadão resgate a cidadania política plena e a cultura cívica para superar a crise instalada, em prol de uma governança mais benéfica a toda sociedade, fortalecendo o processo democrático no Brasil.

Palavras-chave


Democracia; Democracia Representativa; Constituição Federal.

Referências


ARENDT, Hanna. A Condição Humana. São Paulo: Forense Universitária, 1981.

BARRETO, Vicente de Paulo (coord.). Dicionário de filosofia política. São Leopoldo, RS: Unisinos, 2010.

BARROSO, José Durão. Democracia. In: POLIS Enciclopédia Verbo da Sociedade e do Estado: Antropologia, Direito, Economia, Ciência Política. São Paulo: Verbo, 1987. v. 2.

BITTAR, Eduardo C. B. O Direito na pós-modernidade (e reflexões frankfurtianas). 2ª ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária: 2009.

BITTENCOURT, Caroline Müller; DORNELLES, Tiago. A Insuficiência do modelo representativo: a necessária construção de uma democracia efetiva à luz de “novas formas” de participação popular. In: GORCZEVSKI, Clovis. Direitos Humanos e Participação Política. Porto Alegre: Imprensa Livre, 2013. v. IV.

BOBBIO, Norberto. Teoria Geral da Política: a filosofia política e as lições dos clássicos. Rio de Janeiro: Campus, 2000.

______. Norberto. Dicionário de Política. 12ª ed. Brasília: UnB, 2004.

______. Liberalismo e Democracia. Tradução: Marco Aurélio Nogueira. São Paulo: Brasiliense, 2005.

BOFF, Salete Oro; ZAMBAM, Neuro José. O Direito das Culturas: Compromisso com o Reconhecimento, a Cidadania e a Maturidade Democrática. In: BRUCH, Kelly Lissandra; REDIN, Giuliana. Direitos Fundamentais e Espaço Público. Vol. 1. Passo Fundo: Editora IMED, 2010.

BONAVIDES, Paulo. Ciência Política. São Paulo: Malheiros Editores, 2006.

BORDENAVE, Juan E. D. O que é participação. 8ª ed. São Paulo: Brasiliense, 1994.

BORTOLOTI, José Carlos Kraemer; ZAMBAM, Neuro José. A Democracia, os Direitos Fundamentais e o Desenvolvimento Sustentável. In: BORTOLOTI, José Carlos Kraemer; TRINDADE, André Karam (Orgs.). Direitos Fundamentais e Democracia Constitucional. Florianópolis: Conceito Editorial, 2013.

BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF: Senado, 1988. Disponível em www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm. Acesso em: 5 jun. 2014.

COMPARATO, Fábio Konder. Sobre a legitimidade das constituições. In: BONAVIDES, Paulo; LIMA, Francisco Gérson Marques de; BEDÊ, Faya Silveira (Orgs.). Constituição e Democracia: estudos em homenagem ao Professor J. J. Canotilho. São Paulo: Malheiros Editores, 2006.

______. A Nova Cidadania. Lua Nova: Revista de Cultura e Política. São Paulo, n. 28/29, p. 85-106, 1993. Disponível em www.scielo.br/scielo.php?pid=S0102-64451993000100005&script=sci_arttext. Acesso em: 5 jun. 2014.

DAHL, Robert. A moderna análise política. Rio de Janeiro: Lidador, 1970.

______. A democracia e seus críticos. São Paulo: Editora WMF Martins Fontes, 2012.

DICIONÁRIO INFORMAL. Disponível em www.dicionarioinformal.com.br/lobby. Acesso em: 5 jun. 2014.

GIDDENS, Anthony. Para além da esquerda e da direita. São Paulo: Editora Unesp, 1996.

GUÉHENNO, Jean-Marie. O fim da democracia: um ensaio profundo e visionário sobre o próximo milênio. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1994.

GUGLIANO, Alfredo Alejandro. A crise política como solução? Uma reflexão desde a perspectiva das democracias participativas. Revista Brasileira de Direito Constitucional. São Paulo: Editora Método, n. 3. 2004.

HABERMAS, Jurgen. A Inclusão do Outro. Estudos de Teoria Política. São Paulo: Loy, 2004.

KELSEN, Hans. A democracia. Tradução: Ivone Castilho Benedetti et al. 2ª ed. São Paulo: Martins Fontes, 2000.

KLEIN, Antônio Carlos. A importância dos partidos políticos no funcionamento do Estado. Brasília: Brasília Jurídica, 2002.

MANIN, Bernard (1995). As Metamorfoses do Governo Representativo. Revista Brasileira de Ciências Sociais. [S.l.; s.n] nº 29, p. 5-34. out. 1995.

MAUÉS, Antônio Gomes Moreira. Poder e Democracia: o pluralismo político na Constituição Federal de 1988. Porto Alegre: Síntese Ltda., 1999.

MORAIS, Jose Luiz Bolzan de. Audiência públicas: novas práticas no Sistema de Justiça Brasileiro e o princípio democrático (participativo). In: ELGELMANN, Wilson; ROCHA, Leonel Severo; STRECK, Lenio Luiz. Constituição, sistemas sociais e hermenêutica: anuário do programa de Pós-Graduação em Direito da UNISINOS: mestrado e doutorado. Porto Alegre: Livraria do Advogado Editora; São Leopoldo: UNISINOS, 2012.

MORELLI, Daniel Nobre. Notas sobre Pluralismo Político e Estado Democrático de Direito. Disponível em www.jurisite.com.br/doutrinas/Constitucional/doutconst54.html. Acesso em: 12 jun. 2014.

MORIN, Edgar. A via para o futuro da humanidade. Tradução: Edgard de Assis Carvalho e Maria Perassi Bosco. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2013.

MOUFFE, Chantal. O regresso do político. Tradução: Ana Cecília Simões. Lisboa/POR: Gadiva, 1996.

OLIVON, Beatriz. Noruega é país mais democrático; Brasil é 44º. Disponível em exame.abril.com.br/mundo/noticias/noruega-e-pais-mais-democratico-brasil-e-44o. Acesso em: 31 maio 2014.

PANIZA, Alexandre de Lima. Democracia e Contratualismo nas concepções de Hobbes e Rousseau: uma abordagem histórica. In: Revista Brasileira de Direito Constitucional. n. 3. São Paulo: Editora Método, 2004.

PASOLD, Cesar Luiz. Metodologia da Pesquisa Jurídica: teoria e prática. 12ª ed. Florianópolis: Conceito Editorial/Millenium, 2011.

PIRES, Cecília. Democracia contemporânea: quais impasses? In: AZAMBUJA, Celso Candido de; HELFER, Inácio. Política e liberdade no século XXI. Nova Petrópolis: Nova Harmonia, 2011.

REJEIÇÃO AO VOTO OBRIGATÓRIO. Disponível em zh.clicrbs.com.br/rs/noticias/noticia/2014/05/rejeicao-ao-voto-obrigatorio-chega-a-61-no-brasil-4497466.html. Acesso em: 5 jun. 2014.

RODRIGUES, Pedro Pereira. A falência da democracia representativa formal. Goiânia: Sinasefe, 1998.

ROSSI, Paolo. Naufrágio sem espectador. A ideia de progresso. Tradução: Álvaro Lorencini. São Paulo: UNESP, 2000.

SEN, Amartya; KLIKSBERG, Bernardo. As pessoas em primeiro lugar: a ética do desenvolvimento e os problemas do mundo globalizado. Tradução: Bernardo Ajzemberg e Carlos Eduardo Lins da Silva. São Paulo: Companhia das Letras, 2010.

SCHWARTZ, Germano André Doederlein. Direito a saúde: efetivação em uma perspectiva sistêmica. Porto Alegre: Livraria do Advogado, 2001.

TELLES, Ignácio da Silva. A experiência da democracia liberal. São Paulo: Editora Revista dos Tribunais, 1977.

TODOROV, Tzvetan. Os inimigos íntimos da democracia. Tradução: Joana Angélica d'Avila Melo. São Paulo: Companhia das Letras, 2012.

VIAL, Marilza Salete. O perfil dos parlamentares da Câmara dos Deputados: quadro comparativo da 48ª com a 52ª legislatura. Biblioteca Digital Câmara: Brasília, 2007. Disponível em file:///C:/Users/UPF/Downloads/perfil_parlamentar_vial.pdf. Acesso em: 8 jun. 2014.

ZYLBERMAN, Abraham. A ideologia nacional-socialista. Disponível em: holocausto-doc.blogspot.com.br/2008/05/ideologia-nacional-socialista-nazista.html. Acesso em: 8 jun. 2014.

ZOLO, Danilo. Direitos Humanos, Democracia e Paz na Era da Globalização. In: BRUCH, Kelly Lissandra; REDIN, Giuliana. Direitos Fundamentais e Espaço Público. Passo Fundo: Editora IMED, 2010.


Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .

 

Thesis Juris

 

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma  Licença Creative Commons Attribution 4.0