A Essencial Participação da Advocacia no Processo de Mediação Judicial para a Efetivação do Acesso à Justiça e da Segurança Jurídica

Dayse Braga Martins, Gina Vidal Marcílio Pompeu

Resumo


O presente artigo objetiva analisar a mediação de conflitos como instrumento de efetivação do princípio constitucional do acesso à justiça e a necessária participação do advogado para garantir a segurança jurídica dos mediados. Neste sentido, abordou-se a releitura da teoria do acesso à justiça no contexto da política de tratamento adequado dos conflitos. Em seguida, abordaram-se especificamente as características do processo de mediação de conflitos e o papel do advogado na condução e assessoramento do procedimento, com destaque à mediação judicial e extrajudicial. Analisou-se criticamente o Projeto de Lei 8046/2010, o Projeto de Lei 7169/2014 e a Resolução nº125/2010 do CNJ. A metodologia aplicada foi do tipo bibliográfica e documental, de abordagem qualitativa com fins descritivos e exploratórios. Visa investigar, explicar e analisar a experiência brasileira na implementação da mediação de conflitos, com enfoque específico na atuação do advogado para garantir a eficiência do procedimento. Ao estudar a mediação de conflitos, conclui-se que o processo de desjudicialização realizado pela mediação, em especial o da mediação judicial, não exclui a necessária figura do advogado, que deve atuar tanto como mediador, bem como no assessoramento das partes mediadas na sessão de mediação, haja vista a mediação desenvolver-se no contexto da ciência jurídica, no Estado Democrático de Direito. E, neste contexto, deve o acordo e o respectivo documento jurídico serem desenvolvidos de forma a garantir o melhor Direito, em respeito à peculiar realidade de cada caso, para fins de sustentabilidade da relação e do acordo realizado entre as partes envolvidas.


Referências


ALMEIDA, Tânia. Caixa de ferramentas em mediação: aportes práticos e teóricos. São Paulo: Dash, 2014.

AZEVEDO, André Goma de (Org.). Manual de Mediação Judicial. Brasília: FUB, CEAD, 2013.

BRAGA NETO, Adolfo; SALES, Lilia Maria de Moraes (org.). A mediação de conflitos no contexto comunitário. In: Aspectos atuais sobre a mediação e outros métodos extrajudiciais de resolução de conflitos. Rio de Janeiro: GZ, 2012.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF, Senado 1988.

BRASIL. Resolução n 125 de 29 de novembro de 2010. Dispõe sobre a Política Judiciária Nacional de tratamento adequado dos conflitos de interesses no âmbito do Poder Judiciário e dá outras providências. Disponível em: . Acesso em: 1º nov. 2013.

BRASIL. Lei nº 8906, de 4 de julho de 1994. Dispõe sobre o Estatuto da Advocacia e a Ordem dos Advogados do Brasil – OAB. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil. Brasília, DF, DOU de 04 de julho de 1994.

BRASIL . PL 8046/2010. Dispõe sobre o Código de Processo Civil. Disponível em: . Acesso em 30 jul. 2014. dikposa gerard

BRASIL . PL 7169/2014. Dispõe sobre a Mediação entre particulares como meio alternativo de solução de controvérsias e sobre a composição de conflitos no âmbito da Administração Pública. Disponível em: Acesso em 30 jul. 2014.

CAHALI, Francisco José. Curso de Arbitragem: mediação, conciliação, Resolução n° 125 do CNJ. 2ed. São Paulo: editora Revista dos Tribunais, 2012.

CAPPELLETTI, Mauro. Acesso à justiça. Tradução de Ellen Gracie Northfleet. Porto Alegre: Sergio Antonio Fabris Editor, 1988. Reimpresso em 2002.

CARNELUTTI, Francesco. Instituições do Processo Civil. Vol. 1. Tradução de Adrian Sotero de Witt Batista. São Paulo: Editora Classic Book, 2000.

COHEN, Diane. Evaluative mediation. Disponível em: . Acesso em: 22 jul. 2014.

CNJ (CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA). Justiça em números 2013: ano-base 2012. Brasília: CNJ, 2013. Disponível em: . Acesso em: 21 ago. 2014.

COUTO, Mônica Bonetti; MEYER-PFLUG, Samantha Ribeiro. Poder judiciário, justiça e eficiência: caminhos e descaminhos rumo à justiça efetiva? In: Justiça e [o paradigma da] eficiência: celeridade processual e efetividade dos direitos [recurso eletrônico]. SILVEIRA, Vladimir Oliveira da; MEZZAROBA, Orides; COUTO, Mônica Bonetti; SANCHES, Samyra Haydêe Del Farra Nasponili [coords.]. Curitiba: Clássica, 2013.

IBDP (Instituto Brasileiro de Direito Processual). Especialistas criticam projeto de mediação. Notícias, 09maio2014. In: . Acesso em: 2 jul. 2014.

MARTINS, Dayse Braga. A mediação no processo de democratização do estado. In: Estudos sobre mediação e arbitragem. Rio de Janeiro, São Paulo, Fortaleza: ABC Editora, 2003.

_______. A mediação de conflitos e suas instituições. In: Mediação em perspectiva. Orientações para mediadores comunitários. Fortaleza: Universidade de Fortaleza, 2004.

OAB. Conselho Federal. Código de Ética e Disciplina da OAB. Brasília, DF: OAB, Conselho Federal, 1995.

POMPEU, Gina Vidal Marcílio; SIQUEIRA, Natércia Sampaio. Realização da justiça, oportunidade e capacidade: da igualdade formal à igualdade material no que concerne ao acesso à educação superior dos negros por meio do sistema de quotas nas universidades. In: Níveis de efetivação dos direitos fundamentais civis e sociais: um diálogo Brasil e Alemanha. ALEXY, Robert et al. (orgs.). Joaçaba: Unoesc, 2013.

WARAT, Luis Alberto. O ofício do mediador. Vol. I. Florianópolis: Habitus, 2001.

_______. Surfando na pororoca: ofício do mediador. Vol. III. Florianópolis: Fundação Boiteux, 2004.


Texto completo: Pdf

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .

 

Thesis Juris

 

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma  Licença Creative Commons Attribution 4.0