A PENA PRIVATIVA DE LIBERDADE E SEU DELINEAMENTO LEGAL NACIONAL E INTERNACIONAL: DESCOMPASSO COM A REALIDADE OPERATIVA DO SISTEMA CARCERÁRIO BRASILEIRO

Maiquel Ângelo Dezordi Wermuth, Luana Rambo Assis

Resumo


O presente artigo tem por objetivo retratar a realidade do sistema prisional brasileiro, por meio de um mapeamento bibliográfico, tendo como fonte de pesquisa dados coletados no interior dos diversos presídios do país. Primeiramente, busca-se demonstrar que o sistema prisional não carece de legislações, pois tanto no âmbito nacional quanto internacional, o arcabouço legislativo reconhece que a situação de privação de liberdade, não destitui os sujeitos do caráter de cidadãos detentores de direitos e deveres de cidadania. Já em um segundo momento, a reflexão volta-se mais precisamente para a análise acerca da incongruência entre a teoria (dimensão programadora nacional e internacional), e a prática (realidade operacional), vislumbrando que, por mais que o sistema prisional brasileiro esteja protegido em termos de garantia dos direitos humanos, a realidade cotidiana das prisões nacionais comprova a premissa de que estas são verdadeiras fábricas de exclusão e violação de direitos.


Palavras-chave


Sistema carcerário. Direitos Humanos. Direito Internacional.

Referências


ADORNO, Sérgio. Sistema penitenciário no Brasil: problemas e desafios. Revista da USP, n.9, São Paulo, 1991. Disponível em . Acesso em dez. 2015.

BAUMAN, Zygmunt. Vidas Desperdiçadas. Rio de Janeiro: Zahar, 2005.

BESTER, Gisela Maria. Vida mais digna no cárcere com equidade de gênero: direitos fundamentais humanizantes às gestantes privadas de liberdade no sistema prisional e aos seus filhos. In. Empório do Direito. 18/12/15. Disponível em: . Acesso em Jan. 2016.

BOBBIO, Norberto. A Era dos Direitos. Tradução de Carlos Nelson Coutinho. 10. ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2004.

BRASIL. Constituição Federativa. Proclamada em 05 de outubro de 1988. Disponível em . Acesso em Nov. 2015.

CALDERONI, Vivian. Revista Vexatória: condenação hereditária, humilhação e violência. In. IHU On-Line Revista do Instituto Humanitas Unisinos. Edição 471, São Leopoldo, 2014. Disponível em: . Acesso em dez.2015.

CIFALI, Ana Claudia; AZEVEDO, Rodrigo Ghiringhelli. Medo, Descaso e Violência no Brasil: como romper este ciclo. In. RIGON Bruno Silveira; SILVEIRA Felipe Lazzari; MARQUES Jader (Org.). Cárcere em Imagem e Texto. 1 ed. Porto Alegre: Livraria do Advogado, 2015.

CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA. Mutirão Carcerário. Raio X do Sistema Penitenciário Brasileiro. Brasília, 2012. Disponível em: . Acesso em dez. 2015.

COSTA, Dagoberto Albuquerque da. Presídio Central de Porto Alegre. In. RIGON Bruno Silveira; SILVEIRA Felipe Lazzari; MARQUES Jader (Org.). Cárcere em Imagem e Texto. 1 ed. Porto Alegre: Livraria do Advogado, 2015.

CONVENÇÃO AMERICANA DOS DIREITOS HUMANOS. Proclamada em 1969. Disponível em: . Acesso em Nov. 2015

CORTE INTERAMERICA DE DIREITOS HUMANOS. Resolução de 30 de Dezembro de 2013. Medidas Provisórias. Assunto Pessoas Privadas de Liberdade no Presídio Central de Porto Alegre. Disponível em: . Acesso em Dez. 2015.

______. Resolução de 14 de Novembro de 2014. Medidas Provisórias. Assunto Pessoas Privadas de Liberdade no Complexo Prisional de Pedrinhas em São Luiz do Maranhão. . Acesso em Dez. 2015.

DECLARAÇÃO UNIVERSAL DOS DIREITOS HUMANOS, aprovada em 10 de dezembro de 1948, pela Organização das Nações Unidas. Disponível em: . Acesso em Nov. 2015.

DOUZINAS, Costas. O Fim dos Direitos Humanos. Trad. Luiza Araújo, São Leopoldo: Unisinos, 2009.

FLORES, Joaquín Herrera. Teoria Crítica dos Direitos Humanos: os direitos humanos como produtos culturais. Rio de Janeiro: Lumen júris, 2009.

GUINDANI, Mirian Krenzinger A; GUINDANI, Natália. Trinta Anos, este Flash. In. RIGON Bruno Silveira; SILVEIRA Felipe Lazzari; MARQUES Jader (Org.). Cárcere em Imagem e Texto. 1 ed. Porto Alegre: Livraria do Advogado, 2015.

JÚNIOR, Ney Fayet. Chaveiros da Liberdade. In. RIGON Bruno Silveira; SILVEIRA Felipe Lazzari; MARQUES Jader (Org.). Cárcere em Imagem e Texto. 1 ed. Porto Alegre: Livraria do Advogado, 2015.

LEI DE EXECUÇÃO PENAL. Lei nª 7210. Saraiva. São Paulo, 1984.

MALLART, Fábio. Cadeias Dominadas: a fundação CASA, suas dinâmicas e as trajetórias de jovens internos. São Paulo: Terceiro Nome, 2014.

MORAES, Ana Luísa Zago de. Tuberculose e Cárcere. In. RIGON Bruno Silveira; SILVEIRA Felipe Lazzari; MARQUES Jader (Org.). Cárcere em Imagem e Texto. 1 ed. Porto Alegre: Livraria do Advogado, 2015.

PIOVESAN, Flávia. Direitos Humanos e o Direito Constitucional Internacional. 2º ed. São Paulo: Max Limonad, 1997.

______Flávia. Direitos Humanos e a Jurisdição Constitucional Internacional In Revista Brasileira de Direito Constitucional, n.01, p. 148-161, jan/jun, São Paulo, 2003. Disponível em:< http://esdc.com.br/seer/index.php/rbdc/article/view/27>. Acesso em Dez. 2015.

______Flávia. Direitos Humanos, o Princípio da Dignidade Humana e a Constituição Brasileira de 1988 in Revista dos Tribunais, v.94. n. 833, p. 41-53, São Paulo, 2005.

PORTARIA INTERMINISTERIAL Nº1 DE 02 DE JANEIRO DE 2014. Institui a Política Nacional de Atenção Integral á Saúde das Pessoas Privadas de Liberdade. Disponível em: . Acesso em dez.2015.

QUEIROZ Nana. O Sistema que Corrompe o Direito de ser Mulher. In. IHU On-Line Revista do Instituto Humanitas Unisinos. Edição 471, São Leopoldo, 2014. Disponível em: . Acesso em dez.2015.

REGRAS MÍNIMAS PARA O TRATAMENTO DE PRISIONEIROS. Adotadas pelo 1ª Congresso das Nações Unidas sobre Prevenção do Crime e Tratamento de Delinquentes, realizado em Genebra, 1955. Disponível em: . Acesso em Nov, 2015.

RUIZ, Castor M. M. Bartolomé. O Cárcere, o Olhar e o Medo: a invisibilidade do outro. In. RIGON Bruno Silveira; SILVEIRA Felipe Lazzari; MARQUES Jader (Org.). Cárcere em Imagem e Texto. 1 ed. Porto Alegre: Livraria do Advogado, 2015.

SANTIAGO, Leonardo Sagrillo. Sidinei José Brzuska: um juiz para além das paredes do gabinete. . In. RIGON Bruno Silveira; SILVEIRA Felipe Lazzari; MARQUES Jader (Org.). Cárcere em Imagem e Texto. 1 ed. Porto Alegre: Livraria do Advogado, 2015.

SARLET, Ingo. Dignidade da Pessoa Humana e Direitos Fundamentais na Constituição Federal de 1988. 2. ed.Revista Ampliada, Porto Alegre, 2002.

SEQUEIRA, Vânia Conselheiro. Uma vida que não vale nada: prisão e abandono político-social. Revista Psicologia, Ciência e Profissão. v.2, n.4, p. 660-671, São Paulo, 2006. Disponível em . Acesso em dez.2015.

TRINDADE, Antônio Augusto Cançado. A Proteção Internacional dos Direitos Humanos: fundamentos jurídicos e instrumentos básicos. São Paulo: Saraiva. 1991.


Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .

 

Thesis Juris

 

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma  Licença Creative Commons Attribution 4.0