A COMPENSAÇÃO ECOLÓGICA E A PROTEÇÃO DA BIODIVERSIDADE EM MINAS GERAIS

Beatriz Souza Costa, Lilian Maria Ferreira Marotta Moreira

Resumo


O objetivo deste artigo é demonstrar se áreas de Unidades de Conservação de Proteção Integral, criadas no Estado de Minas Gerais, estão recebendo a compensação ambiental destinadas a elas, para a proteção de sua biodiversidade. Este estudo se dará por meio do Relatório de Auditoria Operacional do Meio Ambiente, elaborado pelo Tribunal de Contas de Minas Gerais, assim como do trabalho desenvolvido pela Universidade Federal de Lavras, que avaliou a gestão das Unidades de Conservação do Sistema Estadual de Áreas Protegidas. Portanto, serão analisadas: a regularização fundiária, o plano de manejo; o recolhimento e destinação dos recursos. Tendo encontrado um quadro crítico de aplicação do benefício para essas áreas, de proteção, o Tribunal de Contas determinou a adoção de providências urgentes para sanar as irregularidades, o que foi acompanhado pelo Ministério Público, por meio de sua Promotoria Estadual de Patrimônio Cultural e Turismo de Minas Gerais. Foram utilizadas como técnicas de pesquisa a bibliográfica, assim como a documental. O método de pesquisa utilizado foi o teórico-jurídico, com raciocínio dedutivo.

Palavras-chave


Unidade de Conservação. Proteção Integral. Biodiversidade.

Referências


ANDRADE, Filippe Augusto Vieira de; VILLAR GULIN, Maria Aparecida Alves. The compensation as a Way of reparation for Environmental damages, 1997. Available at: http://www5.mp.sp.gov.br.8080/caouma/doutrina/Amb/Tese/A%20compensa%C3%A7%C3%A3o%dos20danos%20-%20Andrade.htm. Acess: jan. 25.2016.

BECHARA, Erika. Licenciamento e a compensação ambiental na lei do Sistema Nacional das Unidades de Conservação (SNUC). São Paulo: Atlas, 2009.

BHERING, Luana. S.O.S. SEMAD – Ecologistas questionam governo sobre contingenciamento de praticamente todos os recursos destinados ao meio ambiente. In Revista Ecológico. Belo Horizonte: Log & Print, nº 50, out. 2012. Available at: http://www.revistaecologico.com.br/materia.php?id=56&secao=794&mat=846. Acesso em 29 11 nov. 2013.

BRASIL. Supremo Tribunal Federal. Constitucionalidade da compensação devida pela implantação de empreendimentos de significativo impacto ambiental. Inconstitucionalidade parcial do § 1º do art. 36 da Lei 9.985/00. ADIN 3378-6, do Distrito Federal. Confederação Nacional da Indústria e Outros versus União. Relator: Carlos Brito. Julgamento em 08 de abril de 2008. Repositório eletrônico de jurisprudência do STF. Available at: http://redir.stf.jus.br/paginadorpub/paginador.jsp?docTP=AC&docID=534983. Acesso em 29 nov. 2013

_________. Lei 9.985, de 18 de julho de 2000. Regulamenta o art. 225, § 1o, incisos I, II, III e VII da Constituição Federal, institui o Sistema Nacional de Unidades de Conservação da Natureza. Repositório eletrônico de legislação do Planalto. Available at: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9985.htm - Acesso em 29 nov. 2013.

COSTA, Beatriz Souza. Meio ambiente como direito à vida: Brasil, Portugal e Espanha. 3. ed. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2016.

FIORILLO, Celso Antônio Pacheco. Curso de direito ambiental brasileiro. 7. ed.. São Paulo: Saraiva, 2006.

_________, Celso Antônio Pacheco, RODRIGUES, Marcelo Abelha. Manual de direito ambiental e legislação aplicável. São Paulo: Max Limonad, 1996.

LEITE, José Rubens Morato; AYALA, Patryck de Araújo. Dano ambiental: do individual ao coletivo extrapatrimonial. Teoria e prática. 5. ed. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2012.

MACHADO, Paulo Affonso Leme. Direito Ambiental Brasileiro. 21. ed. São Paulo: Malheiros, 2013.

MINAS GERAIS. Tribunal de Contas do Estado. Processo nº 872163. Relatório de Auditoria Operacional. Meio ambiente: Unidades de Conservação de Proteção Integral, de 18 de setembro de 2012. Equipe de trabalho: Antonieta de Pádua Freire Jardim, et al.

MIRRA, Álvaro Luiz Valery. Ação civil pública e a reparação do dano ao meio ambiente. 2. ed. atual. São Paulo: Editora Juarez de Oliveira. 2004.

MOREIRA, Lilian M. F. Marotta. Proteção juridical da Fauna Silvestre no Brasil: Fundamentacao Filosófica e deveres constitucionais. Belo Horizonte: Dom Helder Editora, 2015.

PINHO, Hortência Gomes. Prevention and Rapair of Damages on Environment.São Paulo: Ge Z, 2010.

REZENDE, Luiz Pereira, et al. Avaliação da gestão das UCs do Sistema Estadual de Áreas Protegidas de Minas Gerais. Revista Geografias: Artigos Científicos. Belo Horizonte: UFMG, jan/jul de 2010, 06(1)87-106. Available at: http://www.cantacantos.com.br/revista/index.php/geografias/article/view/105. Acesso em: 29 nov. 2013.

WOLD, Chris. Introdução ao estudo dos princípios de direito internacional do meio ambiente. In: SAMPAIO, José Adércio Leite, WOLD, Chris e NARDY, Afrânio. Princípios do Direito Ambiental, na dimensão internacional e comparada. Belo Horizonte: Del Rey, 2003.


Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .

 

Thesis Juris

 

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma  Licença Creative Commons Attribution 4.0