O processo de extradição e seus limites no Brasil: apontamentos de acordo com o entendimento do supremo tribunal federal

Luiz Carlos Ormay Júnior, Rejane Alves de Arruda, Rejane Alves de Arruda

Resumo


A extradição é um instituto milenar, e também um importante mecanismo de garantia de direitos humanos, de soberania nacional e combate a impunidade. O presente artigo aborda os principais limites do processo de extradição no ordenamento jurídico brasileiro, utilizando-se, para tanto, de revisão bibliográfica e análise documental. A extradição no Brasil é considerada mista, pois exige a atuação conjunta do Poder Executivo e do Poder Judiciário, respeitando o sistema belga de contensiodade limitada. Percebe-se que os limites ao processo de extradição são importantes para assegurar o respeito aos direitos humanos do estrangeiro, vedando-se, por exemplo, a extradição por crimes políticos ou por fato atípico. Por outro lado, para garantir o funcionamento do sistema, podem ocorrer restrições a direitos humanos, como a limitação da matéria de defesa que pode ser alegada pelo estrangeiro.

 


Palavras-chave


Extradição; Brasil; Limites.

Referências


ACCIOLY, Hildebrando. Manual de Direito Internacional Público. 13 ed. São Paulo: Saraiva, 1998.

AMORIM ARAÚJO, Luís Ivani de. Curso de Direito Internacional Público. 10 ed. Rio de Janeiro: Forense, 2000.

BECCARIA, Cesare. Dos delitos e das penas. 6 ed. São Paulo: Edipro, 2001.

BRASIL. Supremo Tribunal Federal. Extradição 795. Relator: Ministro Sepúlveda Pertence, julgamento em 8-8-2001, Plenário, DJ de 6-4-2001.

______. Supremo Tribunal Federal. Extradição 703. Relator Ministro Seúlveda Pertence, Julgamento em 18-12-1997, Plenário, DJ de 20-2-1998.

______. Supremo Tribunal Federal. Extradição 1085. Relator Ministro Gilmar Mendes, Julgamento em 08-06-2011, Plenário, DJ de 03-04-2013.

______. Supremo Tribunal Federal. Questão de Ordem no Habeas Corpus 83113. Relator Ministro Celso de Mello, Julgamento em 26-06-2003, Plenário, DJ de 29-08-2003.

______. Supremo Tribunal Federal. Extradição 688. Relator Ministro Celso de Mello, Julgamento em 09-10-1996, Plenário, DJ de 22-08-1997.

______. Supremo Tribunal Federal. Questão de Ordem na Prisão Preventiva para Extradição 732. Relator Ministro Celso de Mello, julgamento em 11-11-2014, Segunda Turma, DJE de 2-2-2015.

_____. Supremo Tribunal Federal. Extradição 925. Relato Ministro Carlos Britto, julgamento em 10-8-2005, Plenário, DJ de 9-12-2005.

DARDEAU DE CARVALHO, Alciro. Situação Jurídica do Estrangeiro no Brasil. São Paulo: Sugestões Literárias, 1976.

DEL’OLMO, Florisbal de Souza. A Extradição no Alvorecer do Século XXI. Rio de Janeiro: Renovar, 2007.

______. Reflexões sobre a Extradição na Contemporaneidade. In Curso de Direito Internacional Contemporâneo: estudos em homenagem ao Prof. Dr. Luís Ivani de Amorim Araújo pelo seu 80 aniversário. Coord. Florisbal de Souza Del’Olmo. Rio de Janeiro: Forense, 2003.

LISBOA, Carolina Cardoso Guimarães. A Relação Extradicional no Direito Brasileiro. Belo Horizonte: Del Rey, 2001.

MAZZUOLI, Valério O. Curso de Direito Internacional Público. São Paulo: Editora Revista dos Tribunais, 2007.

PODESTÁ COSTA, Luis A. e RUDÁ, José Maria. Derecho Internacional Público. V. 1. 5 ed. Buenos Aires: TEA, 1985.

SÁNCHES, Guillermo Colín. Procedimentos para la Extradición. México: Editora Porrúa, S/A, 1993,

SOUZA, Artur de Brito Gueiros; ARAUJO, Nadia de. As Novas Tendências do Direito Extradicional. Rio de Janeiro: Renovar, 1998.

RUSSOMANO, Gilda Maciel Corrêa Meyer. A Extradição no Direito Internacional e no Direito Brasileiro. 3 ed. São Pualo: Revista dos Tribunais, 1981.

TIBURCIO, Carmen. Temas de Direito Internacional. Rio de Janeiro: Renovar, 2006.

VARELLA, Marcelo Dias. Direito Internacional Público. 2. Ed. São Paulo: Saraiva, 2010.


Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .

 

Thesis Juris

 

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma  Licença Creative Commons Attribution 4.0