O Papel do Estado no Tratamento Favorecido às Micro e Pequenas Empresas Face às Convenções Coletivas de Trabalho e Sua Relação com o Desenvolvimento Econômico Empresarial e Social

Túlio Augusto Tayano Afonso, Bruno César Lorencini

Resumo


Através de uma metodologia dedutiva, por meio de pesquisa bibliográfica atinente ao tema, especialmente doutrinária em documentos e obras desenvolvidos no Brasil, o presente artigo aborda a posição das micro e pequenas empresas em face das Convenções Coletivas de Trabalho, e sua relação com o desenvolvimento econômico empresarial e social brasileiro. Para tanto, primeiramente investiga-se a situação das micro e pequenas empresas dentro da organização do mercado de trabalho nacional. Em seguida, coteja-se a intervenção do Estado nas relações econômicas trabalhistas, para por fim, concluir pela necessidade de uma normatização estatal em prol de condições especiais para as micro e pequenas empresas no que diz respeito às Convenções Coletivas de Trabalho.

Palavras-chave


Convenção Coletiva; Empresa; Desenvolvimento Econômico

Referências


ARAUJO, E. M. V. Entre a resignação e a transformação: o sindicalismo brasileiro na perspectiva dos movimentos sociais. Revista do Tribunal Regional do Trabalho da 3ª Região, Belo Horizonte, v.53, n.83, p.143-156, jan./jun.2011.

CUNHA, Paulo F. da. Dos valores constitucionais socioeconômicos. In: MESSA, Ana Flávia; JUCÁ, Francisco Pedro; THEOPHILO JUNIOR, Roque. Estado & economia: estudos em homenagem a Ademar Pereira. São Paulo: Saraiva, 2011.

DELGADO, Mauricio G. Curso de direito do trabalho. 11ª ed. São Paulo: LTr, 2012.

GRAU, Eros Roberto. A ordem econômica na Constituição de 1988. 11ª ed. São Paulo: Malheiros, 2006.

JUCÁ, Francisco Pedro. O bom governo da empresa. In: MESSA, Ana Flávia; JUCÁ, Francisco Pedro; THEOPHILO JUNIOR, Roque. Estado & economia: estudos em homenagem a Ademar Pereira. São Paulo: Saraiva, 2011.

MARTINS, Ives G. da S. Direito constitucional interpretado. São Paulo: Revista dos Tribunais, 1992.

MATSUSHITA, Thiago L. O jus-humanismo normativo – expressão do princípio absoluto da proporcionalidade. 2012. 206 f. Tese (Doutorado em Direito) – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2012

PESQUISA Sebrae-NA, Dieese. Disponível em: . Acesso em 20 jun. 2014.

PETTER, Lafayete Josué. Direito Econômico. Porto Alegre: Verbo Jurídico, 2013.

PETTER, Lafayete Josué. Princípios Constitucionais da ordem econômica: o significado e o alcance do art.170 da Constituição Federal. 2ª Ed. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2008.

SILVA, Américo Luís M. da. A ordem constitucional econômica. 2ª ed. Rio de Janeiro: Forense, 2003.

TAVARES, André R. Direito Constitucional Econômico. 3ª ed. Rio de Janeiro: Forense; São Paulo: Método, 2011.


Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .

 

Thesis Juris

 

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma  Licença Creative Commons Attribution 4.0